Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


PINK MARTINI

por ciprianoalves, em 18.11.13

Pink Martini é um grupo musical que recentemente descobri e do qual sou fã. Este grupo foi formado em 1994, pelo pianista Thomas Lauderdale, em Portland, Oregon, Estados Unidos da América.

 

Thomas Lauderdale, fundador do grupo
Fonte: Pink Martini

É descrita como uma pequena orquestra, que combina vários géneros musicais clássicos como o latin, jazz, pop. A sua vocalista principal é a sensual China Forbes.

 

            
Grupo Pink Martini, aqui com Storm Large
Fonte: Pink Martini

Em 1994, Thomas Lauderdale tinha como objectivo candidatar-se a um lugar na política, começando para isso, a receber formação. Como candidato, verificou que os eventos eram acompanhados por música sem brilho. Inspirando-se na música de todo o mundo, cruzando os géneros de música clássica, jazz e pop, fundou a orquestra Pink Martini, esperando com isso apelar aos conservadores e liberais, abrilhantando os eventos com música mais bonita e com interpretes de qualidade, para as suas causas de então; captação de recursos políticos para causas como, os direitos civis, meio ambiente, bibliotecas, radiodifusão pública, educação e parques.

 

Pelos vistos, a partir daí, perdemos um futuro político mas ganhámos um excelente músico!

 

             
Thomas Lauderdade, fundador, as vocalistas Storm Large, de branco  e China Forbes, de vestido verde
Fonte: Pink Martini

Um ano depois, Lauderdale convida a que é hoje a sua vocalista principal, China Forbes, que morava em Nova York, pedindo-lhe para se juntar ao grupo Pink Martini. Começaram, a partir daí, a escrever músicas juntos. Editaram o seu primeiro single "Sympathique", muito bem acolhido em França, onde foi nomeada para canção do ano e vendeu mais de um milhão e trezentas mil cópias.

No grupo todos estudaram várias línguas e diferentes estilos músicais de todas as partes do mundo. Inevitavelmente o reportório do grupo é muito diversicado. Desde o samba à música clássica francesa, italiana, tudo é possível ouvir quando este grupo actua.

 Sympatique, primeiro single, muito bem acolhido em França


Sendo a banda, Norte Americana, ela canta em quinze línguas diferentes e além dos seus dez, doze músicos, têm convidado para participar nos concertos as melhores orquestras a nível mundial, tornando as suas actuações ainda mais espectaculares e profissionais.

 

 Grupo Pink Martini

Devido a sua formação acima da média (12 membros), a banda tem tido problemas em encontrar lugares para actuar, em algumas cidades. Com a ajuda do amigo da banda Norman Leyden começaram a  apresentar-se com várias orquestras atráves do país, conquistando assim ainda mais fãs. 


Aqui ficam alguns dos albuns editados por este grupo:


 


Aqui fica o nome dos músicos que formam o grupo, todos eles na minha óptica, com um desempenho excepcional.

 

Thomas Lauderdale, pianista e Storm Large, vocalista 

Fonte: Pink Martini


 

Formação

 
China Forbes — vocais 
Thomas M. Lauderdale — piano 
Robert Taylor — trombone 
Gavin Bondy — trompet 
Paloma Griffin — violino 
Doug Smith — vibrafone e percussão 
Brian Lavern Davis — congas, bateria e percussão 
Derek Rieth — percussão 
Martin Zarzar — bateria 
Phil Baker — baixo 
Timothy Nishimoto — vocais e percussão 
Maureen Love — harpa 

 

  China Forbes, vocalista dos Pink Martini

Fonte: Pink Martini

 

 

Membros de tours

 

Pansy Chang — cello 
Dan Faehnle — guitarra 
Claude Giron — cello 
Brant Taylor — cello 
Nicholas Crosa — violino

 

 

Nota: Alguns dados, imagens e vídeos foram retirados através de pesquisa na internet

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:29

A GANHAR SE PERDE E A PERDER SE GANHA!

por ciprianoalves, em 03.11.13

Quem utiliza, como eu, os transportes públicos, tem-se deparado com algumas situações que o comum dos mortais não entende! Sempre ouvi recomendar a utilização dos transportes públicos, quaisquer que sejam os responsáveis deste País.

 

  
Fertagus, o comboio da ponte.
Um transporte fiável, cómodo, mas muito caro e com horários desadequados aos fins de semana

Fertagus, interior de um comboio

Os motivos principais destas recomendações baseiam-se no seguinte; os utilizadores destes transportes poupam muito dinheiro, contribuiem para o combate à poluição, contribuem para reduzir as importações, o tempo da viagem pode ser utilizado para ler, ouvir música, conversar, trabalhar, etc..., não se preocupam com o estacionamento, contribuem para melhorar a mobilidade nas grandes cidades, enfim!...

 

Nos transportes públicos, viajar é uma aventura

O que acontece na realidade; o cidadão gasta tanto ou mais se utilizar os transportes públicos do que gasta utilizando a sua viatura particular, para o mesmo percurso; a oferta está baseada apenas em razões económicas, isto é, apenas existe nas chamadas horas de ponta. Numa cidade como Lisboa, a partir das 21h 00m é uma aventura contar com transportes em dias de semana, porque aos domingos e feriados já ninguém conta com eles; nas horas de ponta andam apinhados e sem quaisquer condições de conforto e privacidade. Resumindo, o cliente paga um serviço que não lhe é prestado e ainda por cima caro!

 

Horários rígidos, desadequados e desintegrados não servem os clientes

Paga-se muito caro por um serviço que funciona parcialmente e desintegrado, com horários rígidos e completamente desajustados das necessidades dos seus clientes. Nas estações, algumas movimentam milhares de passageiros, as escadas rolantes e elevadores são pura e simplesmente desligados a partir das 10,00h e até às 17,00h e depois a partir das 21,00h, criando uma situação caricata, isto é passageiros de 1ª e de 2ª, não tendo estes útimos direito a estas "mordomias", embora paguem como os outros. Se a moda pega, vamos ter os elevadores e escadas rolantes dos Centros Comerciais e outros espaços públicos desligados, em determinadas horas, para poupar alguns euros! Isto é precisamente o contrário do que devia ser o seu objectivo principal, prestar um  "serviço de qualidade com total respeito por todos os clientes"!

 

Scooters, uma alternativa económica, aos actuais preços e horários dos transportes públicos 

Quando se tratam os clientes desta forma, naturalmente que estes fogem a sete pés e, ao contrário do que seria desejável as empresas de transportes perdem mensalmente milhares de passageiros a favor do transporte individual.

 

Quando o transporte público não funciona é este o resultado

Senhores responsáveis lembrem-se do provérbio; " A GANHAR SE PERDE E A PERDER SE GANHA" 

 

 

Nota: Algumas imagens foram retiradas através de pesquisa na internet.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:12



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Visitas


Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D