Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Portugal Histórico, Alentejo, Vila Viçosa

por ciprianoalves, em 07.06.17

VILA VIÇOSA

 

Vila Viçosa é conhecida como a “Princesa do Alentejo”. É uma das mais preciosas e encantadoras jóias do Alentejo, uma “vila-museu”.

271.JPG

Deve-se o nome Vila Viçosa à fertilidade dos solos e aos encantos do seu território. Esta vila alentejana é a terra de uma das mais ilustres poetisas portuguesas, Florbela Espanca. A autora escreveu extraordinárias obras de arte da nossa literatura e foi pioneira do movimento feminista em Portugal. Conseguiu levar longe o então desconhecido nome da povoação.

Vila Viçosa é uma vila cheia de História, com um património riquíssimo e invejável criado pelo Homem ao longo dos séculos. Foi e continua a ser a Natureza que providencia a matéria-prima para a criação de variadíssimas peças de rochas decorativas. O destaque vai para o mármore, que há muito tempo tem um papel fundamental na economia do concelho.

260.JPG

O mármore da região, de qualidade superior e conhecido internacionalmente, abunda na região e é explorado e extraído das cerca de 160 pedreiras existentes. Um dos primeiros lugares a visitar em Vila Viçosa deverá ser, portanto, uma destas pedreiras. Assim perceberá como esta rocha é em bruto e como, depois de muito trabalho, chega até nós plena de beleza nas mais inesperadas formas. Mas, primeiro, vamos conhecer a origem da vila.

 

História de Vila Viçosa


Aqui, na bela vila de Vila Viçosa, a História faz-se de histórias, contada pelas igrejas, pelos conventos, palácios, museus e pelas próprias ruas e gentes. E, de facto, houve aqui momentos muito importantes, não só para o concelho, mas também para a História de Portugal.

251.JPG

Primeiramente, ao longo dos tempos, Vila Viçosa foi ocupada por, entre outros, romanos e muçulmanos. Conquistada em 1217 durante o reinado de D. Afonso II, recebe, em 1270, foral de D. Afonso III, que lhe atribuiu a categoria de vila. No século XIV, o Castelo de Vila Viçosa é mandado construir por D. Dinis.

Já no século XV, em 1461, a vila passou a fazer parte do Ducado de Bragança. No ano de 1500, D. Manuel I convida Jaime I a regressar à corte, restituindo-lhe os títulos anteriores.

A construção do Paço Ducal de Vila Viçosa, o mais emblemático monumento da povoação, teve início em 1502, a mando do Duque Jaime I de Bragança. Foi então que Vila Viçosa se tornou a sede do Ducado de Bragança.

227.JPG

Em 1640, João II, Duque de Bragança, aceita o trono de Portugal, tornando-se D. João IV e dando início à Dinastia de Bragança. Daqui para a frente, Vila Viçosa passou a ser a residência real de férias.

No ano de 1646, D. João IV ofereceu a coroa de Portugal a Nossa Senhora da Conceição. Esta foi a forma de agradecimento pela vitória portuguesa na Guerra da Restauração. Nossa Senhora da Conceição tornou-se assim Rainha e Padroeira de Portugal. Mais nenhum rei deste país usou a coroa a partir desta data.

228.JPG

No século XVIII, a vida em Vila Viçosa também foi abalada pelo Terramoto de 1755 e no início do século XIX a vila foi pilhada durante as Invasões Francesas.

Em 1910, com a Proclamação da República, Vila Viçosa entrou em declínio, muito por causa da vontade dos Republicanos em fazerem desaparecer todos os vestígios da Monarquia. No entanto, na década de 1930, com a exploração dos mármores e da abertura do Paço Ducal aos turistas, por vontade de D. Manuel II, Vila Viçosa ganhou nova vitalidade.

 

O que visitar em Vila Viçosa


Entendendo a importância que esta povoação teve para Portugal ao longo dos tempo, facilmente nos apercebemos de que há muito para visitar em Vila Viçosa.

 

Palácio Ducal de Vila Viçosa


O Palácio Ducal de Vila Viçosa… um esplendoroso palácio real, exemplar sem igual da nossa arquitetura e por isso de visita obrigatória. Aqui poderá apreciar “coisas” de rara beleza e que não mais esquecerá. Porquê? Primeiro porque é um edifício de estilo maneirista, com uma fachada totalmente revestida a mármore da região, com cerca de 110 metros de comprimento.

230.JPG

Depois, porque são mais de 50 as salas abertas ao público, onde vai poder aprender muito sobre a história local e nacional mas sobretudo porque vai sentir que fez parte da História. Visitar o Palácio de Vila Viçosa é quase como entrar numa máquina do tempo. Sem precisar de a programar verá os séculos a passarem diante dos seus olhos.

242.JPG

As várias salas que vai poder visitar no Palácio Ducal de Vila Viçosa dão “guarida” a notáveis coleções de pintura, escultura, mobiliário, tapeçaria, cerâmica e ourivesaria, em diferentes núcleos museológicos:

a Armaria, que exibe as inúmeras coleções de armas da Dinastia de Bragança;
o Tesouro, com um vasto espólio em que se distinguem várias peças de ourivesaria valiosíssimas e exemplares magníficos de pinturas e tapeçarias, bordados a ouro e peças de cerâmica;

243.JPG

a Porcelana Azul e Branca da China, a mais expressiva coleção particular de porcelana chinesa da Península Ibérica;
os Coches e Carruagens pertencentes à Família real, incluindo também viaturas de gala dos séculos XIX e XX;
a Tapada Real, transformada pelos sucessores do 4º Duque de Bragança no maior espaço natural amuralhado do país, com uma fauna e flora riquíssimas, e que fazia as delícias da caça dos monarcas desta Dinastia.

 

Castelo de Vila Viçosa

Depois do Paço Ducal, o Castelo de Vila Viçosa. No interior das suas muralhas, na antiga capela gótica de Nossa Senhora do Castelo, pode encontrar o Santuário de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, padroeira de Portugal, com a sua imagem original. Uma curiosidade: as vestes ricas das rainhas e outras damas da Casa Real foram usadas para vestir a imagem da padroeira, desde 1820.

249.JPG

Mesmo ao lado, no cemitério, repousam os restos mortais da imortal Florbela Espanca. Finalmente, ainda dentro do Castelo de Vila Viçosa, pode ir à descoberta do Museu da Caça e do Museu de Arqueologia.

No Museu da Caça pode encontrar uma fantástica e rica coleção que inclui várias espécies relativas à caça, de origem europeia e asiática. Pode ainda admirar os vários troféus de caça africanos e uma coleção de cerca de 200 armas. Este será o ponto alto da visita dos amantes da arte da caça.

259.JPG

Já o Museu de Arqueologia alberga um riquíssimo núcleo de peças arqueológicas de diversas épocas. Destas destacam-se um valioso espólio de peças romanas encontradas na região e alguns artefactos arqueológicos pertencentes à coleção pessoal do rei D. Luís I.

264.JPG

Cá fora, uma subida às muralhas do Castelo vai dar-lhe a oportunidade de ver do alto todo o circuito urbano da vila. Contemple a Praça da República, carregada de viçosas laranjeiras que espalham o seu perfume na atmosfera fresca de Vila Viçosa.

265.JPG

Outros lugares a visitar em Vila Viçosa

Se ficou curioso com os encantos de Vila Viçosa, quando cá vier não se esqueça também de visitar estes lugares.

Museu do Mármore
Igreja e Convento dos Agostinhos
Igreja de São João Evangelista
Igreja de São Bartolomeu
Igreja da Lapa
Cruzeiro de Vila Viçosa
Igreja e Convento dos Capuchos
Casa Museu Bento de Jesus Caraça
Museu Agrícola e Etnográfico
Porta do Nó
Porta da Vila
Pelourinho

 

Visitar Vila Viçosa é cansativo, mas vale a pena. Deve dedicar, nos seus planos de viagem dois a três dias, pois há muitos locais interessantes a visitar...

 

Fonte textos: visitevora.net

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:43

Portugal Histórico, Alentejo, Estremoz

por ciprianoalves, em 07.06.17

ESTREMOZ

 

Estremoz é uma cidade portuguesa no Distrito de Évora, região Alentejo, sub-região Alentejo Central, com 7483 habitantes (2012).

225.JPG

 

É sede de um município com 513,80 km² de área e 14 318 habitantes (2011), subdividido em nove freguesias.O município é limitado a norte pelos municípios de Sousel e Fronteira, a nordeste por Monforte, a sueste por Borba, a sul pelo Redondo e a oeste por Évora e por Arraiolos.

202.JPG

 

É conhecida internacionalmente pelas suas jazidas de mármore branco, o chamado Mármore de Estremoz. A exploração do mármore de Estremoz tem uma origem muito antiga, como comprova o Templo romano de Évora, que contém mármore originário de Estremoz. Está também presente no altar-mor da Catedral de Évora.

A Estremoz foi concedida a distinção de «Notável Vila», atribuída pelos reis de Portugal a muitas das suas vilas; foi elevada à categoria de cidade em 1926.

 

UM POUCO DE HISTÓRIA 

 

Em 1336, a Rainha Santa Isabel, então com 65 anos, deslocou-se a Estremoz desde o convento franciscano em Coimbra onde se tinha recolhido após a morte de D. Dinis, seu marido, de modo a evitar uma guerra entre o seu filho Afonso IV e o rei de Castela Afonso XI. Afonso IV declarou guerra a Afonso XI pelos maus tratos que este infligia à sua esposa D. Maria (filha do rei português). A Rainha Santa Isabel colocou-se entre os dois exércitos desavindos, e de novo evitou a guerra tal como tinha acontecido em 1323 na batalha de Alvalade, entre as tropas de D. Dinis e as de D. Afonso IV. A enciclopédia do D.N. diz que a Rainha Santa faleceu nesta data.

190.JPG

 Estremoz foi o local de falecimento do rei D. Pedro I, em 1367, no convento dos franciscanos.

Na crise de 1383-1385, foi uma das cidades que se revoltaram no Alentejo a favor de João de Aviz, pouco depois do assassínio do Conde de Andeiro em Lisboa. Foi nas proximidades de Estremoz que se deu a primeira batalha entre portugueses e castelhanos à época, a batalha dos Atoleiros, ganha pelos primeiros sob o comando de D. Nuno Álvares Pereira.

189.JPG

 Em 1659, foi em Estremoz que o exército português se reuniu às ordens de D. António Luís de Meneses, conde de Cantanhede, para socorrer Elvas, que se encontrava cercada por um exército espanhol, comandado por D. Luís de Haro. De ali partiram para derrotar os espanhóis na Batalha das Linhas de Elvas, tendo causado enormes baixas aos seus adversários.

191.JPG

Em 1663 o exército espanhol, comandado por D. João de Áustria e o exército português, comandado pelos condes de Vila Flor e de Schomberg defrontaram-se nos campos de Ameixial a 5 km de Estremoz. O exército espanhol tinha acabado de conquistar Évora. Era constituído por 3000 cavaleiros e 2000 homens a pé, sendo este um dos mais perigosos ataques espanhóis durante a guerra da Restauração. Depois da batalha, o exército espanhol retirou para Badajoz.

193.JPG

 

Em Fevereiro de 1821, Mouzinho da Silveira foi encarregado da diligência de arrecadação da Fazenda em Estremoz.

 

PRINCIPAIS MONUMENTOS A VISITAR

 

Entre outros estes são os monumentos de visita obrigatória em Estremoz:

195.JPG

 

Castelo de Estremoz, parte transformada em Pousada, com a sua torre de menagem e as suas muralhas, Palácio Real de D.Dinis e Museu Municipal prof. Joaquim Vermelho.

194.JPG

 

Fonte: Textos foram retirados da wikipedia

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:29



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2017

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Visitas


Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D